Restauração Ambiental

Aprenda a diferenciar Recuperação, Reabilitação e Restauração Ambiental

Muito se fala atualmente sobre a preservação ambiental, principalmente devido às ações humanas, seja no contexto do trabalho ou da vida cotidiana, tem causado grandes impactos ambientais. Dentro deste contexto, muitas dúvidas vêm surgindo a respeito dos conceitos de recuperação, reabilitação e restauração ambiental.

Compreender a diferença entre eles é fundamental, uma vez que, ainda que seus significados sejam parecidos, eles tratam de assuntos diferentes. E essa confusão é muito comum e pode acarretar em um grande prejuízo para quem deve executar o trabalho.

Continue a leitura deste artigo para compreender, de uma vez por todas, a real diferença entre recuperação, reabilitação e restauração ambiental.

 

Diferença entre Recuperação, Reabilitação e Restauração Ambiental

Embora estes três temas falem a respeito da preservação ambiental, existem algumas diferenças entre eles, confira:

 

Recuperação ambiental: Conforme o decreto no 97.632, de 10-04-1989 a recuperação ambiental diz respeito ao “retorno do sítio degradado a uma forma de utilização, de acordo com um plano pré-estabelecido para o uso do solo, visando à obtenção de uma estabilidade do meio ambiente”. Mas o que isso quer dizer? Que a área degradada deverá ter condições mínimas para estipular um novo equilíbrio dinâmico, desenvolvendo um novo solo. Além disso, a recuperação ambiental é como a reparação dos recursos, desde que seja suficiente para restabelecer a composição das espécies encontradas originalmente no local.

Reabilitação ambiental: é o retorno da área degradada a um estado biológico apropriado. Esse retorno não significa, exatamente, que a área poderá ser utilizada de maneira produtiva a longo prazo. Mas, poderá ser utilizada como uma atividade alternativa, adequada ao uso do homem e não aquela de reconstituir a vegetação original. Ademais, é válido ressaltar que, o planejamento dessa atividade deve ser projetado sem causar nenhum tipo de impacto negativo no ambiente.

Restauração ambiental: refere-se à obrigatoriedade do retorno ao estado original da área, da mesma forma que eram antes de serem modificadas pela interferência do homem. Em outras palavras, quer dizer que, todos os aspectos relacionados à vegetação, fauna, solo, topografia, dentre outros, devem apresentar as mesmas características de antes da degradação.

 

Recuperação de áreas degradadas pela mineração

No Brasil existem uma grande quantidade de áreas degradadas pela mineração e, conforme a lei, é necessário que estas áreas passem pelo processo de recuperação ambiental. Para isso, é necessário um Projeto de Recuperação de áreas Degradadas (PRAD) conforme o Manual de Recuperação de Áreas Degradadas pela Mineração do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).

 

Além de recuperar ecossistemas florestais degradados, o PRAD também promove a recuperação do solo. Para isso, são utilizadas técnicas distintas de acordo com a necessidade do projeto. Existem 3 principais tipos de recuperação de áreas degradadas, que apresentamos a seguir:

  • Condição da regeneração natural;
  • Plantio por sementes;
  • Plantio de mudas.

Somente um profissional da área ambiental poderá verificar qual destes tipos é o mais adequado para determinada área.

 

Como a CGM pode auxiliar?

A CGM Engenharia é especialista na elaboração e execução de estudos, projetos e serviços ambientais. Entre eles, o Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), tanto para empresas privadas quanto públicas.

Nossos consultores ambientais estão preparados para ajudar você a adequar sua empresa à legislação ambiental. Entre em contato conosco e saiba mais sobre os nossos serviços!

 

CGM Engenharia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.